Carlos Gracie

Vale comparar esporte (boxe) com campeonato (UFC)?

Na edição de agosto de 2011, a revista Mundo Estranho resolveu comparar 5 aspectos (história; lutadores; grana; popularidade; influência cultural) do boxe e do UFC (Ultimate Fighting Championship). Contudo, não entendi o porquê disso. Na verdade, a análise parece tão válida quanto confrontar aspectos do Copa do Mundo de Futebol masculino e do vôlei. UFC é apenas um campeonato de um esporte que, ainda que relativamente novo, se delineia já há alguns anos: o MMA (Mixed Martial Arts ou Artes Marciais Mistas). Embora a matéria tenha explicado que o UFC está contido no MMA, parece que faltou critério para essa comparação.

Nos primórdios do MMA – quando ainda nem se chamava assim -, os lutadores não costumavam dominar mais de um estilo de luta. O que acontecia era que os mestres de muitas modalidades diferentes se enfrentavam com intuito de provar que sua arte marcial era a mais “eficiente”. A história do MMA se cruza com a da família Gracie, não apenas porque em 1993 Rorion Gracie foi um dos mentores do UFC. Carlos Gracie (1902-1994) é considerado por alguns como criador do jiu jitsu brasileiro (ou, como é mais conhecido atualmente: BJJ, sigla para Brazilian Jiu Jitsu), enquanto outros afirmam que ele ensinou o jiu jitsu tradicional para seu irmão mais novo Hélio Gracie (1913-2009) e que este teria desenvolvido o BJJ devido ao seu porte físico que não era adequado para o esporte, criando, deste modo, novos golpes e novas técnicas que fariam com que seu baixo peso não se tornasse um empecilho.

O que interessa aqui é saber que, em meados dos anos de 1920, Carlos Gracie circulou o Brasil para desafiar lutadores famosos de outras artes marciais para provar que sua técnica de luta era melhor, tornando realidade a luta entre várias artes marciais. Carlos iniciou ainda a tradição dos “desafios Gracie”, eventos onde os melhores lutadores de sua modalidade eram convidados para um combate, sempre com a intenção de atrair a mídia e divulgar sua arte marcial. Seu irmão e principal aluno, Hélio Gracie, tornou-se o maior divulgador dessas embates. Hélio começou sua carreira em 1932 lutando com  boxeador Antonio Portugal, finalizado em apenas 30 segundos pelo brasileiro. Desde então, lutas oficiais entre campeões e mestres de modalidades distintas se tornaram mais frequentes.

Obviamente, esses tipos de lutas ainda não eram chamados de MMA, pois os lutadores geralmente eram peritos e conheciam apenas sua arte marcial. Todavia, é nessa conjuntura que o esporte começou a se delinear e os jornalistas do Mundo Estranho preferiram não citar nenhum desses fatos, enquanto lembraram que o boxe existia desde o século 7 a.C. Não defendo que o MMA tem uma trajetória tão longínqua quanto a do boxe, mas parece óbvio que a comparação foi mal feita e que alguns fatos foram esquecidos e deixados de lado.

A briga entre boxe e MMA também não é nova. Desde 2007, o UFC consegue mais assinaturas de canais pagos do que o boxe graças à sua regularidade, de acordo com informações do UOL de setembro de 2009. Em junho deste ano, a Veja publicou uma matéria mostrando como o MMA nocauteou o boxe em oito golpes. No início deste mês, o presidente do UFC e ex-lutador amador de boxe Dana White criticou duramente  Bob Aaron, empresário do boxeador Manny Pacquiaoconforme o portal R7. A última polêmica no boxe, a luta entre Floyd Mayweather e Victor Ortiz, foi acompanhada de perto por Dana White, que não apenas usou o Twitter para criticar o boxe e sua organização, como também aproveitou para promover seu evento.

No UFC 118, em agosto de 2010, um dos mais famosos lutadores do MMA e do UFC, Randy ‘The Natural’ Couture, enfrentou o campeão de boxe James Toney. A luta, além de rápida – terminou em pouco mais de 3 minutos -, demonstrou o despreparo e desprezo de Toney pelas outras modalidades de artes marciais. Couture dominou todo o tempo e colocou o grandalhão do boxe no chão facilmente. Toney esqueceu que não estava em casa e que, quando se é visitante, tem de se aprender as regras e os costumes locais. MMA não é apenas boxe, e o ex-campeão dessa modalidade queria mostrar que só esta habilidade seria suficiente para vencer qualquer desafiante. Se deu mal e foi derrotado por um belo katagatame, golpe de jiu jitsu, aplicado por Couture.

2 thoughts on “Vale comparar esporte (boxe) com campeonato (UFC)?

Comente!

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s