Jornalista da Reuters é atendido pela PM. Fonte: Matheus Leitão/Folhapress

Jornalistas sofrem no dia da Independência*

Jornalista da Reuters é atendido pela PM. Fonte: Matheus Leitão/Folhapress
Jornalista da Reuters é atendido pela PM. Fonte: Matheus Leitão/Folhapress

Os livros de história cravam 7 de setembro de 1822 como o dia em que o Brasil se tornou independente de Portugal. Controvérsias históricas à parte, praticamente 200 anos depois, as celebrações da data e os protestos em algumas cidades do país resultaram em confrontos. No decorrer das ações, jornalistas foram agredidos e tiveram dificuldades para realizar seu trabalho tanto por causa da polícia como dos manifestantes.

Em Brasília, o fotógrafo Ueslei Marcelino, da Reuters, caiu e foi atacado por um cachorro do Batalhão de Choque da Polícia Militar. Quando tentaram conversar e chegar perto de Marcelino, outros fotógrafos e repórteres foram afastados pelos policias com spray de pimenta. Enquanto a Folha de S. Paulo enfatiza que, na ocasião, a polícia estava em confronto com os manifestantes que procuravam chegar ao Estádio Nacional de Brasília – onde a seleção brasileira enfrentou a australiana –, o Yahoo! Notícias informa que não havia problemas nas proximidades.

Jornalistas são impedidos pela PM de ajudar colega ferido. Fonte: Agência Estado
Jornalistas são impedidos pela PM de ajudar colega ferido. Fonte: Agência Estado

O profissional foi removido do local pela própria PM para receber atendimento médico no Hospital de Base. Em nota divulgada, a Secretaria de Comunicação do Governo do Distrito Federal informou que o jornalista apenas caiu e machucou o joelho, não sendo mordido pelos animais da BPCães. O Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Distrito Federal lamentou o ocorrido e citou o caso do jornalista Luciano Nascimento, agredido pelos policiais. Nascimento trabalha Empresa Brasil de Comunicação (EBC), que veiculou uma nota de repúdio.

Segundo a Folha, um de seus fotógrafos, Fábio Braga, também foi atacado pelos cachorros da PM, embora não tenha se ferido. Ainda de acordo com o veículo, outros de seus repórteres foram ameaçados por membros do grupo ‘black blocs’, que depredaram concessionárias de automóveis e tentaram entrar no prédio da TV Globo.

Jornalistas são agredidos em Manaus, ao final da celebração. Fonte: Márcio Silva/A Crítica
Jornalistas são agredidos em Manaus, ao final da celebração. Fonte: Márcio Silva/A Crítica

No Rio de Janeiro, um jornalista da Globo News foi hostilizado por manifestantes, com o profissional deixando o local dentro do carro da PM, segundo O Globo. O G1 Amazonas noticiou que, em Manaus, um manifestante foi preso após agredir uma jornalista com soco nas costas. Ao final do desfile em comemoração à data, jornalistas foram ameaçados e agredidos por manifestantes que se recusaram a passar pela revista, de acordo com o jornal A Crítica.

* Deu no GJOL

Comente!

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s